Espanhol Português Inglês
GUIA ONLINE
DE FORNECEDORES
Fabricantes Distribuidores Empresas
Busca Geral
Participe agora mesmo
CADASTRE-SE AGORA MESMO!
 


Voltar

Eat Just, o duro caminho para se tornar líder mundial em ovo plant-based!

A Eat Just Inc. foi fundada em 2011, na época com o nome de Beyond Eggs, e depois Hampton Creek Foods, pelos amigos de infância Josh Balk e Josh Tetrick. Começou em Los Angeles, Califórnia, depois mudou-se para a garagem de Tetrick, em San Francisco, em 2012. Na época, a empresa tinha cerca de 30 funcionários. Inicialmente, a empresa começou com US$ 500.000 de capital, depois, conseguiu US$ 2 milhões em financiamento de capital de risco da Khosla Ventures.

Os primeiros dois anos da Hampton Creek foram dedicados a pesquisa e desenvolvimento. A empresa testou uma variedade de plantas em laboratório para identificar proteínas vegetais com propriedades semelhantes aquelas dos ovos de galinha, como gelificação e emulsificação, por exemplo. Já, mais recentemente, como Eat Just, desenvolveu um processo automatizado para testar plantas, o qual foi patenteado em 2016. Informações como a tolerância à secagem de cada planta, sabor e quaisquer prováveisproblemas alergênicos foram compilados em um banco de dados chamado Orchard (Pomar!)

Em setembro de 2013, a Whole Foods Market(1) se tornou a primeira grande rede de supermercados a vender produtos da Hampton Creek, quando começou a usar JUST Mayo em certos alimentos preparados. Isso foi seguido por acordos com Costco(2) e Safeway. No início de 2014, a empresa havia levantado US$ 30 milhões em financiamento de capital de risco. Mais tarde naquele ano, levantou mais US$ 90 milhões.

O American Egg Board (AEB) demonstrou preocupação e respondeu ao crescimento da Hampton Creek, e outras empresas de substitutos de ovos, com uma campanha publicitária apresentando o slogan "Não aceite substitutos". Foi criado um novo site, com nome de maior impacto, incredibleegg.com

Em outubro de 2014, a Unilever processou a Hampton Creek Foods alegando que o nome JUST Mayo induziu os consumidores a acreditar que o produto continha ovos de verdade. O sentimento público favoreceu a Hampton Creek e mais de 100.000 pessoas assinaram uma petição na Change.org pedindo à Unilever "parar de intimidar as empresas de alimentos sustentáveis". A Unilever retirou seu processo seis semanas depois. No entanto, a FDA (Food and Drug Administration) enviou uma carta de advertência dizendo que o nome JUST Mayo era enganoso para os consumidores, uma vez que o produto deve conter ovos reais para ser chamado de "maionese"(3). Em dezembro de 2015, a Hampton Creek chegou a um acordo com a FDA para deixar mais claro na embalagem da JUST Mayo que ela não contém ovos reais. A publicidade do processo e a falta de ovos, devido a gripe aviária, ajudaram o crescimento da Hampton Creek.

No final de 2015, vários ex-funcionários alegaram, anonimamente é claro, que a Hampton Creek estava exagerando a ciência por trás de seus produtos, rotulando incorretamente os ingredientes em amostras de pré-produção e manipulando contratos de trabalho. Em seguida, e-mails protegidos por meio do Freedom of Information Act mostraram que o American Egg Board contratou a Edelman Public Relations (considerada a maior empresa de relações públicas do mundo!) para se envolver em uma campanha visando a reputação da Hampton Creek. Entre outras coisas, os e-mails inferiram que o American Egg Board discutiu a interferência no contrato de Hampton com a Whole Foods, encorajou a Unilever em suas ações legais contra a Hampton Creek e fez piadas sobre a contratação de um assassino para matar o CEO da Hampton Creek. O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) abriu uma investigação e o CEO do American Egg Board renunciou.

Em 2016, mais problemas! Uma história da Bloomberg relatou que a Hampton Creek comprava seus próprios produtos das prateleiras das lojas para inflar o número de vendas durante a arrecadação de fundos. A Hampton Creek declarou que isso era parte de um programa de controle de qualidade pouco ortodoxo. O SEC (U.S. Securities and Exchange Commission) e o U.S. Department of Justice iniciaram um inquérito que foi encerrado em março de 2017, após concluir que as alegações eram insignificantes, não relevantes.

Em 2016, a Eat Just tinha 142 funcionários. No final daquele ano, também expandiu substancialmente seus testes de laboratório de proteínas vegetais potenciais, usando robôs e automação. Em agosto de 2016, a Hampton Creek levantou outra rodada de financiamento de investidores. O financiamento tornou a empresa um unicórnio, com uma avaliação superior a US$ 1 bilhão, mas o valor do financiamento não foi divulgado.

Em junho de 2017, a Target parou de vender produtos Hampton Creek após ver uma carta anônima alegando problemas de segurança alimentar, como salmonela e listeria, nas instalações de fabricação da Eat Just. A Target disse que nenhum de seus clientes relatou ter ficado doente e uma investigação da FDA não encontrou contaminantes nos produtos da Hampton Creek. Mais uma tentativa de difamação mal sucedida!

Vários executivos foram demitidos em 2017, depois que a empresa alegou que eles estavam tentando tirar o controle da empresa do CEO, Josh Tetrick. Em julho de 2017, todo o conselho havia sido demitido, renunciado ou movido para uma função consultiva, exceto o CEO e fundador Josh Tetrick. Cinco novos membros do conselho foram nomeados.

A Hampton Creek começou a transição de seu site e outras marcas para se concentrar no nome "Just", em junho de 2017. O nome legal da empresa foi alterado no ano seguinte. Isso levou a um litígio de marca registrada com uma empresa de água engarrafada que também usa a marca "Just".

No final de 2019, a Eat Just Inc. adquiriu sua primeira fábrica. A fábrica de 30.000 pés quadrados, em Appleton, MN, era originalmente uma fábrica da Del Dee Foods, uma empresa prestadora de serviços de spray-drying.

As vendas da Eat Just aumentaram mais de 100% de fevereiro a julho de 2020, devido à pandemia de Covid-19.

Em 2020, a Eat Just criou uma subsidiária asiática em parceria com a Proterra Investment Partners. Por meio da joint venture, a Proterra prometeu investir até US$ 100 milhões e, com a Eat Just, começou a construir uma fábrica em Cingapura.

A Eat Just desenvolve e comercializa substitutos vegetais para alimentos que normalmente usam ovos de galinha, como ovos mexidos e maionese. A empresa é mais conhecida por seu JUST Egg à base de plantas, feito de feijão mungo(4), e um substituto da maionese chamado JUST Mayo, que é feito principalmente de uma variante da ervilha amarela canadense. De acordo com a Eat Just, a empresa produziu o equivalente a 60 milhões de ovos em produtos alimentícios em 2020.




Galeria de Imagens:



 

Telefone:

+55 11 5524-6931

Celular:

+55 11 99998-0506

Newsletter:

Fique conectado:

© EDITORA INSUMOS LTDA.

Av. Sargento Geraldo Santana,
567 – 1º andar
CEP 04674-225
São Paulo, SP - Brasil

001