Espanhol Português Inglês
GUIA ONLINE
DE FORNECEDORES
Fabricantes Distribuidores Empresas
Busca Geral
Participe agora mesmo
CADASTRE-SE AGORA MESMO!
 


Voltar

ÓLEO DE PALMA E DERIVADOS PARA A INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

Atualmente o óleo de palma ou dendê é o óleo mais produzido no mundo, próximo de 63 milhões de toneladas, sendo 80% produzidos na Asia, devido a sua alta produtividade em relação a outras oleaginosas, o óleo de palma de 6 tons/Ha x Soja 0,4tons / Ha por ano, é muito bem visto como uma importante alternativa para suprir o aumento da demanda por óleos vegetais no mundo, não podemos deixar de considerar que a palmeira começa a produzir os frutos a partir de 3 a 4 anos de idade, alcançando sua maturidade próximo dos 10 anos até os 25 anos, onde é feita a reciclagem das palmeiras, pois devido sua altura, dificulta a coleta dos cachos, afetando diretamente a produtividade.

Oitenta por cento do óleo produzido é destinado para indústria de alimentos, principalmente para chocolates, biscoitos, margarinas e gorduras para sorvetes, bolos e recheios, devido aos seus excelentes atributos para a saúde, não contém colesterol como qualquer óleo vegetal, reduz o colesterol "mal" LDL e aumenta o nível do colesterol "bom" HDL, reduz a tendência de formação de coágulos no sangue, diminuindo o risco de enfermidades cardíacas, também é uma importante fonte de energia na dieta, fácil digestão e rico em carotenóides, que são percursores da vitamina A e tocoferóis ( vitamina E ) que são antioxidantes naturais e protege contra os radicais livres, outra grande vantagem é que por suas características e ponto de fusão, não precisa ser hidrogenado para alcançar a forma pastosa, assim evitando a formação de ácidos graxos trans, qual é não é recomendado por aumentar o risco de problemas cardíacos. Por este motivo, hoje temos vários produtos que levam o óleo de palma ou seus derivados em sua formulação resultando em produtos baixo ou zero trans.

O fruto da palma é constituído de 2 partes, a polpa vermelha, qual após prensagem se obtém o óleo de palma e a noz que após quebrada, se extrai a amêndoa que após sua prensagem teremos o óleo de palmiste, tanto o óleo de palma como óleo de palmiste poderão passar por processos de refino, branqueamento e desodorização e após esses processos, poderão ainda passar por um fracionamento para se obter a oleína e estearina de seus respectivos produtos.

Podemos extrair os seguintes produtos:

  • Óleo de palma bruto : 20%
  • Óleo de palmiste : 1,5%
  • Torta de palmiste : 3,5%
  • Cachos vazios : 22%
  • Fibras : 12%
  • Cascas : 5%
  • Efluentes líquidos : 50%

A oleína de palma é fortemente utilizada em toda Asia para fritura devido sua excelente estabilidade oxidativa, já a estearina de palma é bastante utilizada para blends de gorduras e margarinas para se alcançar um especifico ponto de fusão e curva de sólidos, uma vez que seu ponto de fusão é 50 a 52 graus. Quando falamos do palmiste, podemos considerar fabricação de coberturas de sorvetes, chocolates, chantilly ou até mesmo fritura de biscoitos de polvilho ou pipocas., quando fracionado, teremos a oleína de palmiste que hoje está sendo direcionado para alguns blends especiais para chocolates ou para industria de sabões e do outro lado teremos a estearina de palmiste que é destinada a fabricação das gorduras especiais como CBS, Cocoa Butter Substitute, focando diretamente o mercado de chocolates.

Aboissa Óleos Vegetais

www.aboissa.com.br




Downloads:



 

Telefone:

+55 11 5524-6931

Celular:

+55 11 99998-0506

Fique conectado:

Curta nossa Fanpage:
facebook.com/RevistaFIB

© EDITORA INSUMOS LTDA.

Av. Sargento Geraldo Santana,
567 – 1º andar
CEP 04674-225
São Paulo, SP - Brasil

001