Espanhol Português Inglês
GUIA ONLINE
DE FORNECEDORES
Fabricantes Distribuidores Empresas
Busca Geral
Participe agora mesmo
CADASTRE-SE AGORA MESMO!
 


Voltar

ENRIQUECIMENTO DE ALIMENTOS COM FERRO

A fortificação de alimentos é definida como o processo no qual é acrescido ao alimento, dentro dos parâmetros legais, um ou mais nutrientes, contidos ou não naturalmente neste, com o objetivo de reforçar seu valor nutritivo e prevenir ou corrigir eventuais deficiências nutricionais apresentadas pela população de forma geral ou de grupos de indivíduos específicos (Vellozo e Fisberg, 2010).

O mercado de alimentos fortificados tem crescido significativamente, principalmente pelo aumento da procura de alimentos com health claims pelos consumidores. Além disso, as pessoas hoje buscam por alimentos que se encaixem no seu contexto de vida, em uma sociedade em que os indivíduos desempenham múltiplas tarefas, os chamados multi-taskers, a procura por um alimento que atenda diversas demandas do organismo também é maior. No setor de laticínios, a procura por alimentos fortificados, de 2002 a 2011, cresceu 240%, ficando a frente, por exemplo, dos alimentos orgânicos (Tetra Pak- Dairy Index, 2009).

Mais de 50 países, dentre eles EUA, Austrália, Canadá e Brasil, tem a fortificação de determinados alimentos básicos obrigatória. Um dos exemplos clássicos é a farinha de trigo fortificada com ácido fólico para prevenir o risco de nascimento de crianças com defeito no tubo neural. No Brasil, no ano de 2002, diante dos altos índices de anemia e doenças causadas pela deficiência de ferro e ácido fólico, o Ministério da Saúde e a ANVISA tornaram obrigatória a fortificação de farinhas de trigo e milho com ferro e ácido fólico, 4,2mg de Fe e 150mcg de ácido fólico a cada 100g de farinha.

Do ponto de vista prático a fortificação de alimentos com minerais não é tão simples, ao se escolher o tipo de composto a ser adicionado alguns critérios devem ser observados:

1. Não alteração das características organolépticas.

2. Não alteração do shelf life do produto.

3. Não acelerar a desestabilização do produto no tempo de prateleira.

4. Não interagir com outros nutrientes.

5. O micronutriente adicionado deve ser altamente biodisponível.

As alterações básicas que podem ocorrer com a adição de sais de minerais são a interação com a matriz alimentar e a adição de sabor característico aos minerais no produto. Basicamente, sais de minerais são insolúveis, pobremente biodisponíveis e desorganizam o equilíbrio da estrutura do produto, podendo acelerar os processos de desestabilização, diminuindo assim seu shelf life.

O ferro na fortificação de alimentos

O ferro é um mineral essencial para importantes atividades fisiológicas do organismo, como transporte de oxigênio, função cognitiva, saúde cardiovascular e sistema imune. Segundo a Organização Mundial da Saúde, aproximadamente 1,3 bilhões de pessoas no mundo tem deficiência de ferro, sendo essa a causa mais comum de anemia. A eficácia na prevenção da anemia utilizando alimentos fortificados é evidenciada claramente na literatura, mostrando-se como uma estratégia adequada em diversos países (Vellozo e Fisberg, 2010).

O Ferrochel® Albion é um ferro aminoácido quelato, composto por uma molécula de ferro ligada a duas moléculas de glicina. Este produto apresenta boa solubilidade, não precipita proteínas, não provoca oxidação de gorduras e vitaminas, não se degrada durante o processo de pasteurização e não altera as características organolépticas dos alimentos. O Ferrochel® Albion apresenta, ainda, excelente biodisponibilidade, quando comparado a outras fontes de ferro, como sulfato, fumarato, dentre outras (Figura 1).

FIGURA 1 - PORCENTAGEM DE ABSORÇÃO DE DIFERENTES FONTES DE FERRO

Outra alternativa interessante para a fortificação de alimentos é o ferro glicinato quelato Taste Free Albion, composto esse em que o ferro esta quelato em 3 moléculas de glicina. O ferro glicinato quelato Taste Free Albion foi desenvolvido com o objetivo de melhorar a palatabilidade, oferecendo um produto que não apresenta o gosto metálico inerente aos compostos de ferro.

Marchetti et al (2000), observou uma menor degradação de vitaminas em alimentos armazenados que continham vitaminas e minerais aminoácidos quelatos Albion, quando comparados aqueles com vitaminas e sulfatos de minerais (Figura 2).

FIGURA 2 - CONTEÚDO DE VITAMINAS CONTENDO MIXES DE MINERAIS COMO SULFATOS OU QUELATOS

Em Londrina, investigou-se o efeito de uma bebida láctea fortificada com Ferrochel® Albion, 12mg/100mL, em 468 crianças e adolescentes entre 7 e 14 anos de idade, frequentadores de centros públicos de educação. Foram avaliadas no início e aos 3, 6 e 12 meses do estudo. Cada criança ingeria 100mL/dia da bebida. A prevalência de anemia, avaliada por meio de sangue capilar, decresceu significativamente de 41,9%, no início do estudo, para 26,4%, aos seis meses, e 9,6% após um ano. O aumento significativo dos níveis médios de hemoglobina foi observado em todos os acompanhamentos (Miglioranza et al., 2003).

A efetividade nutricional do Ferrochel® Albion também foi avaliada por Rodrigues et al. (2006). Para avaliar o efeito do consumo de bebida láctea achocolatada fortificada com Ferrochel® Albion (1,5mg Fe elementar/200mL) foi realizado um estudo com crianças com idade de 3 a 6 anos, que ingeriram durante 3 meses 200mL da bebida láctea, 5 vezes por semana. Os resultados demonstraram que a intervenção foi efetiva, com aumento significativo nos níveis de hemoglobina, ferritina e eritrócitos. Deve-se a esse fato a elevada absorção do composto utilizado para fortificação, a estabilidade do mesmo no produto e boa palatabilidade, o que resultou no consumo completo da porção oferecida (200mL).

Alguns importantes programas estaduais utilizam o Ferrochel® Albion em sua formulação. O Viva Leite é um programa do Estado de São Paulo que distribui leite para crianças de 6 meses a 6 anos e 11 meses e idosos de 60 anos ou mais, de famílias com renda de até 2 salários mínimos; estima-se que 625 mil famílias sejam atendidas em todo o Estado. Programa semelhante foi implantado no Paraná, o chamado Leite das Crianças, que tem como público alvo crianças de 6 a 36 meses e famílias com renda per capita de até ½ salário mínimo; em 2011 cerca de 52 milhões de litros de leite foram distribuídos. Os programas de distribuição de leite fortificado são uma importante ação de saúde pública para prevenir e corrigir carências nutricionais, que tem efeitos positivos para a indústria de lácteos.

Para que a fortificação de alimentos seja bem sucedida a escolha do composto é fundamental. Pensando nisso, a Albion desenvolveu compostos de minerais ideias, tanto no que se refere a tecnologia de alimentos, quanto a efetividade dessa fortificação na saúde da população.

Albion Human Nutrition

www.albionminerals.com




Downloads:



 

Telefone:

+55 11 5524-6931

Celular:

+55 11 99998-0506

Fique conectado:

Curta nossa Fanpage:
facebook.com/RevistaFIB

© EDITORA INSUMOS LTDA.

Av. Sargento Geraldo Santana,
567 – 1º andar
CEP 04674-225
São Paulo, SP - Brasil

001