Espanhol Português Inglês
GUIA ONLINE
DE FORNECEDORES
Fabricantes Distribuidores Empresas
Busca Geral
Participe agora mesmo
CADASTRE-SE AGORA MESMO!
 


Voltar

MUNDO AROMAS

Os aromas estão presentes de forma ativa desde os primórdios da humanidade. Além de auxiliar no processo de apuração quanto a qualidade sensorial dos alimentos, estes também contribuíam para diferenciar as plantas nocivas das comestíveis. Através de estudos em biotecnologia e investimentos em pesquisas, os aromas assumiram novas funções. Além da melhoria sensorial dos alimentos, os pesquisadores desenvolveram novas técnicas de isolamento de substâncias químicas e naturais, propiciando a criação de tecnologias de redução de açúcar, sódio e gordura, assim como as famosas sensações utilizadas principalmente em produtos destinados ao público infantil.

Na legislação brasileira, especificamente no anexo da Resolução RDC nº 2 de 15 de Janeiro de 2007, encontra-se o regulamento técnico sobre aditivos aromatizantes. Dentre as definições das substâncias com propriedades odoríferas, os aromatizantes classificam-se em naturais e sintéticos:

Aromas naturais: são obtidos através de misturas de substâncias aromáticas naturais. Pode-se citar como exemplos de aromatizantes naturais os extratos (líquidos ou secos), óleos essenciais e oleoresinas.

Aromas idênticos aos naturais: são obtidos através de substâncias aromáticas idênticas as naturais com ou sem a adição de substâncias aromáticas naturais.

Aromas artificiais: são obtidos através da mistura de uma ou mais substâncias aromáticas artificiais com ou sem adição de substâncias aromáticas artificiais ou idênticas às naturais.

A criação de um aroma abrange diversos tipos de tecnologias e processos químicos e físicos para que se consiga obter o perfil aromático, ou seja, garantir que o produto reproduza o perfil desejado e o flavor release certificando que o mesmo esteja presente no momento do consumo assegurando a liberação no momento exato.

Conforme citado anteriormente, o desenvolvimento de um aroma envolve inúmeras tecnologias de engenharia de processo, sínteses químicas, fidedignidade quanto às matérias-primas, know-how entre as interações do aroma e o produto final, sistemas de liberação do princípio aromático e análises de moléculas. Pode-se citar como exemplo as matérias-primas utilizadas para o desenvolvimento de aromatizantes naturais onde se trabalha com sais de substância naturais com os seguintes cátions: H+(hidrogênio), Na+ (sódio), K+(potássio), Ca++(cálcio) e Fe+++(ferro) e ânions: Cl- (cloreto), SO4-2 (sulfato) e CO3-2(carbonato). Além destes, entram na composição os veículos e diluentes que irão propiciar a uniformidade e facilitar na incorporação e dispersão de aromatizantes concentrados.

A indústria de alimentos tem trabalhado constantemente para que se consiga obter perfis sensoriais autênticos pois além de melhorar o produto final, o aroma caracteriza e padroniza o sabor fidelizando o consumidor. Além disso, em uma era onde as pessoas estão buscando viver com qualidade, o nicho de produtos diet e light estão crescendo e ganhando novos espaços nas gôndolas. Como são produtos em que se retiram a quantidade total e/ou parcial de açúcar e/ou gordura, faz-se necessário trabalhar em novas tecnologias de substituição para que o consumidor não perceba a ausência destes ingredientes. Portanto faz-se necessário o uso de tecnologias aromáticas onde se obtenha produtos aceitáveis sensorialmente e que consigam reconstituir a ausências dos ingredientes e/ou aditivos responsáveis pelo mouthfeel. Uma das técnicas utilizadas para que se comprove que estas alterações não serão percebidas pelo consumidor é a análise sensorial. Segundo a ABNT, esta é definida como a disciplina científica usada para evocar, medir, analisar e interpretar reações das características dos alimentos e materiais como são percebidas pelos sentidos da visão, olfato, gosto, tato e audição. Como o aroma envolve uma combinação de experiências sensoriais como odor e sabor assim como sensações como calor, frescor e pungência, o sistema sensorial (olfativo, gustativo, tátil, auditivo e visual) é o responsável pela avaliação dos atributos dos alimentos.

No início do século XX, o pesquisar alemão D.P.Hanig realizou um estudo sobre o mapeamento das regiões da língua caracterizando cada região e classificando-as de acordo com a sensibilidade encontrada. Porém em meados de 2012, o famoso e muito utilizado “mapa da língua” foi abolido. Isso porquê de acordo com alguns cientistas existem centenas de receptores olfativos e não apenas um responsável por identificar um determinado sabor, por exemplo. O que irá ocorrer é que em alguns casos, as células neuroepiteliais irão identificar de forma mais ou menos intensa a característica das moléculas que estão envolvidas no processo de mastigação.

Nota-se portanto que o universo dos aromas não se restringe apenas à caracterização do sabor propriamente conhecida, mas em muitos casos ele define a identidade do produto.

Em aromas, a Sweetmix é Distribuidora da Givaudan, uma empresa que tem quase dois séculos de conhecimento armazenado nesta indústria através de pesquisas e aquisições, com 65 anos de presença no Brasil e, com esta parceria, a Sweetmix tem seu apoio tanto técnico quanto mercadológico em projetos onde a demanda assim o exigir e comportar.

Para cada segmento de mercado uma família de produtos, para cada tipo de processo uma tecnologia de entrega do Aroma que seja a mais adequada ao produto onde será aplicado.

Aromas líquidos (na forma simples ou em emulsões), Aromas pós (com diferentes tecnologias de secagem), nos mais variados e criativos sabores, segundo demanda do cliente.

Assim, estamos preparados para atender a todos os segmentos, dentre eles, bebidas líquidas (energéticas, refrigerantes, sucos e alcoólicas) e refresco em pó, produtos forneados, tais como biscoitos doces e salgados, bolos e misturas para bolos, panetones, produtos lácteos e seus derivados, como iogurtes , produtos culinários como sopas desidratadas, caldos, temperos, molhos, maionese, snacks, suplementos alimentares para atletas, margarinas, confeitos como balas, gomas e gomas de mascar, pós para gelatinas e rações animais.

Contamos também com diversas tecnologias aromáticas que se diferenciam no mercado de aromas, que se constitui em extrair o que á de melhor em sabor e odor dos ingredientes e oferecê-los em forma de aromas. Sabendo da grande preocupação dos consumidores atuais sobre produtos saudáveis, a Sweetmix oferece uma gama de soluções que podem ser desenvolvidas especialmente para cada um dos produtos de nossos clientes, contamos com grandes estudos e tecnologias Givaudan que se destacam por sua excelência, como mascarar sabores indesejados ou até mesmo reduzir sódio dos produtos, tudo isso sem perder os sabores já conhecidos, ou até mesmo melhorando e acentuando as notas aromáticas.

Portanto, muitos podem se perguntar o porquê de usar aroma nos produtos, e dentro dessa pergunta só existem vantagens, pois existem escolhas de uso entre aromas naturais, idênticos ao natural e artificial, que fornecem as aplicações diversos tipos de estabilidades dentre o uso de alta temperatura, destilação, evaporação, envelhecimento de base, solubilidade e claro tudo isso oferecendo qualidade e superioridade de sabor aos produtos, que muitas vezes não podem ser atingidas usando a própria matéria prima que provem o sabor desejado.

Sweetmix Indústria Comércio Importação e Exportação Ltda.

www.sweetmix.com.br




 

Telefone:

+55 11 5524-6931

Celular:

+55 11 99998-0506

Fique conectado:

Curta nossa Fanpage:
facebook.com/RevistaFIB

© EDITORA INSUMOS LTDA.

Av. Sargento Geraldo Santana,
567 – 1º andar
CEP 04674-225
São Paulo, SP - Brasil

001