Espanhol Português Inglês
GUIA ONLINE
DE FORNECEDORES
Fabricantes Distribuidores Empresas
Busca Geral
Participe agora mesmo
CADASTRE-SE AGORA MESMO!
 


Voltar

USO DE ACIDULANTES NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

Os acidulantes segundo a Portaria nº540, de 27 de outubro de 1997 da Anvisa, são definidos como toda a substância que aumenta a acidez ou confere um sabor ácido aos alimentos. Os acidulantes também influencim na conservação microbiológica dos alimentos.

Vários alimentos tais como: laranjas, limão, maça, tomate, entre outros contêm ácidos naturais, sendo o principal o ácido cítrico.

O ácido cítrico de longe, é o ácido mais utilizado na indústria alimentícia, por várias questões:

1° - Sua versatilidade de aplicações, que vai desde o “flavor” (sabor, aroma) até a sua sinergia com antioxidantes, passando também pela caracteristica ácida que influência o pH (potencial hidrogeniônico),

2° - Facilidade de obtenção, pode ser obtido através da fermentação com a presença de Aspergillus niger em meio contendo uma mistura de sacarose, sais e ferro, ou até mesmo de fontes naturais, este segundo já não é mais comum, por conta da demanda.

3° - Um custo relativamente baixo.

Aplicação dos acidulantes na indústria de alimentos

  • Agentes flavorizantes - os acidulantes podem tornar o alimento mais agradável ao paladar, mascaram gostos desagradáveis.
  • Altera o pH do alimento.
  • Age como agentes tamponantes, durante diferentes estágios do processamento de produtos alimentícios.
  • Agentes Conservantes: são empregados na prevenção do crescimento de microorganismos ou no desenvolvimento de esporos de bactérias patogênicas.
  • São Sinérgicos com antioxidantes na prevenção de oxidação de gorduras e do escurecimento (enzimático ou não).
  • Modificam a viscosidade/texturas.

Agentes de cura para carnes. Empregados também com outros componentes para cura de carne com finalidade de realçar as cores, "flavor” e ação preservativa.

  • Retiram e sequestram metais prejudiciais que aceleram a deterioração da cor "flavor”, a oxidação e que causam turvação.
  • Causam a inversão de açúcares, evitando sua cristalização.
  • Auxiliam a extração de pectina, pigmentos naturais e de frutas e vegetais em geral.
  • Aumentam a efetividade do benzoato.
  • Estabilizam o ácido ascórbico (vitamina C), que se oxida com facilidade em processo com altas temperaturas ou em contato com a luz ou com o oxigênio.

Abaixo, podemos observar as características de alguns acidulantes:

Ácido fumárico

Origem:

  • Síntese química pela isomerização catalisada do ácido maléico.
  • Processo de fermentação biológica: cultivo do Rhizopus arrhizus NRRL 1526 em meio amido ou levedura Cândida hydrocarbofumarica ATCC 28532 em meio contendo mosto de uva, glicose, cloreto de amônia e sais de zinco e manganês.

Características:

  • Baixa solubilidade.
  • Não higroscópico.

Aplicações na indústria:

  • Melhoria da qualidade.
  • Redução do custo de processamento.

Exemplos:

  • Gelados comestíveis.
  • Geléias de frutas.
  • Pós para sobremesas de gelatinas, flans, pudins e similares.
  • Farinha comum e tipo pré-misturas.
  • Balas duras.
  • Refrescos.

Ácido láctico

Origem:

  • Pela fermentação natural utilizando Streptococcus lactis.
  • O ácido láctico racêmico é obtido por síntese química baseada na reação de acetoaldeído com ácido hidrocianico.
  • A indústria de alimentos só o utiliza na forma L+.

Características:

  • Cor cristalina.
  • Solução aquosa 85%.
  • Sabor sutil e suave, às vezes descrito como ligeiramente salino.

Aplicações na indústria:

  • Conservante.
  • Inibidor do crescimento microbiano.

Exemplos:

  • Cerveja (somente na preparação do mosto de malte).
  • Charque e carne bovina salgada e curada.
  • Conservas vegetais em meio láctico-acético.
  • Queijos não curados.
  • Bombons e similares.

Ácido tartárico

Origem:

  • Subproduto da fermentação do vinho.
  • Pode ser extraído da polpa de tamarindo.

Características:

  • Sólido incolor.
  • Solúvel em água.
  • Perfil sensorial: percepção imediata e acentuada, mas pouco duradoura.

Exemplos:

  • Principalmente em produtos com sabor de uva, mas pode ser utilizado em outros aromas.
  • Geléias.

Ácido cítrico

Origem:

  • Derivado de frutas cítricas, sendo antigamente extraído destas
  • A partir de 1892, devido a grande demanda, o ácido cítrico passou a ser extraído comercialente através da fermentação com a presença de Aspergillus niger em meio contendo uma mistura de sacarose, sais e ferro.
  • Faz parte do ciclo de krebs, sendo vital para o metabolismo. – metabolismo é capaz de produzir e metabolizar na forma de citrato de 1,5 a 2,0 kg/dia

Características:

  • Ácido mais comum usado na indústria de alimentos
  • Solúvel em água
  • Cristalino
  • Ácido orgânico
  • Gosto de limão
  • Percepção imediata e acentuada, mas pouco duradoura

Aplicações na indústria:

  • Bom agente tamponante
  • Redução de pH
  • Controle de crescimento microbiano
  • Aromatizante
  • Mascarar o gosto desagradável da sacarina
  • Ação quelante
  • Cura

Exemplos:

  • Refrescos
  • Geleias (auxílio na formação do gel)
  • Pós para sobremesas de gelatinas flans pudins e similares
  • “Cooler”

Ps.: Esses são apenas uns exemplos da aplicação de ácido cítrico, pois como visto anteriormente ele é o ácido mais usado na indústria de alimentos e, portanto, faz parte da maioria das formulações onde a utilização de acidulantes se faz necessária.

Ácido fosfórico

Origem:

  • Tecidos de origem animal e vegetal (ossos contém cerca de 60% Ca3(PO4)2
  • P4O10 (hidratação)
  • Obtido a partir de fosfato de cálcio e coque em presença de areia

Características:

  • Sabor intermediário entre a acidez pronunciada do ácido cítrico e a suavidade do ácido láctico
  • Solução aquosa 85%
  • Inorgânico

Aplicações na indústria:

  • A peso igual quando comparado aos outros ácidos provoca uma maior redução do pH

Exemplo:

Preparados líquidos para refrescos e refrigerantes que não contenham sucos de frutas (devido à intensidade e durabilidade do sabor ácido)

  • Doces em pasta
  • Refrescos e refrigerantes que não contenham sucos de frutas
  • Na forma de fosfato (fermento em pó)
  • Xaropes para refrescos que não contenham sucos de frutas

Bibliografia

http://www.abima.com.br/dload/13_1_port_540_97_leg_alim_nac.pdf - Acesso em 14/09/2011

http://www.anvisa.gov.br - Acesso em 16/09/2011

http://www.understandingfoodadditives.org/pages/Ch2p9-1.htm - Acesso em 16/09/2011

Relação Dos Acidulantes Mais Utilizados Na Indústria De Alimentos. - Disponível em

http://www.ufrgs.br/alimentus/med/2004-01/seminarios/acidulantes.doc - Acesso em 19/09/2011

http://pt.shvoong.com/writing-and-speaking/branded-content/2064551-acidulantes/#ixzz1Y8OMRyiE – Acesso em 19/09/2011

* Patricia Tammy Macena é tecnóloga em alimentos e Weslley Vieira Nunes é técnico em alimentos da Plury Química Ltda.

Plury Química Ltda.

www.pluryquimica.com.br




 

Telefone:

+55 11 5524-6931

Celular:

+55 11 99998-0506

Fique conectado:

Curta nossa Fanpage:
facebook.com/RevistaFIB

© EDITORA INSUMOS LTDA.

Av. Sargento Geraldo Santana,
567 – 1º andar
CEP 04674-225
São Paulo, SP - Brasil

001